Moçambique anuncia que cidade ocupada por jihadistas está “sob o controle do Estado”

  • 06/04/2021
Moçambique anuncia que cidade ocupada por jihadistas está “sob o controle do Estado”

A cidade portuária de Palma, no Norte de Moçambique, foi retomada pelas forças de segurança do governo e está segura, afirmou um porta-voz do Exército, depois que militares mataram um “número significativo” de combatentes que atacaram a cidade no final de março e a ocuparam no dia 27 do mês passado.

Mais de uma centena de insurgentes devastaram a cidade, destruindo edifícios cívicos, roubando e ateando fogo a pelo menos um banco e matando dezenas de pessoas, segundo autoridades moçambicanas, consultores de segurança e um relatório da União Africana visto pelo Financial Times. Milhares fugiram da violência.

No domingo (04), o Exército de Moçambique disse que Palma estava segura novamente com insurgentes mortos após dias de batalha.

“Concluímos a limpeza [da cidade]. Era a única área sensível que precisávamos limpar. Está completamente segura”, disse o porta-voz do Exército, Chongo Vidigal, em comentários transmitidos pelo canal de TV estatal TVM na noite de domingo.

Armindo Ngunga, secretário de Estado da província de Cabo Delgado, disse à Reuters que Palma está novamente "sob o controle do Estado".

“Houve uma perda significativa de vidas humanas e a infraestrutura foi destruída. Mas as pessoas estão seguras agora”, acrescentou Ngunga.

Os cristãos de Moçambique são parte da população que sofre a violência dos grupos insurgentes, passando por ondas de violência cada vez maiores no país. A Anistia Internacional já interviu em centenas de casos de ataques contra essa população e pediu ao governo que tomasse providências. O governo moçambicano vai permitir investigações às violações de direitos humanos.

Integrantes de um grupo chamado al-Shabab, que jurou fidelidade ao Estado Islâmico em 2019, atacaram em 24 de março a cidade de 75 mil habitantes, que fica próximo a um complexo gasífero liderado pela empresa francesa Total. A construção da usina de gás de US$ 60 bilhões, prevista para entrar em operação em 2024, está paralisada há vários meses. A Total havia anunciado o reinício das obras pouco antes do ataque, mas anunciou uma nova suspensão.

A exploração das reservas gasíferas do litoral de Cabo Delgado é uma das esperanças de aumento de renda de Moçambique, um dos países mais pobres da África.

Ofensiva jihadista

O governo moçambicano disse que dezenas de pessoas morreram na ofensiva jihadista, e fontes das forças de segurança afirmaram que os confrontos continuaram fora da cidade até a sexta-feira passada.

Imagens feitas pela TVM em Palma mostraram um soldado cobrindo um corpo caído na rua e edifícios incendiados. Sobreviventes relataram ter visto corpos de outras pessoas que morreram de fome ou desidratação enquanto tentavam escapar.

Grupos de ajuda acreditam que o último ataque deslocou dezenas de milhares de pessoas, muitas das quais fugiram para a floresta densa ou escaparam de barco para Pemba, a capital da província. A extensão do número de vítimas, porém, ainda não está clara, com muitas pessoas ainda desaparecidas.

Desde 2017, os jihadistas têm saqueado vilarejos e cidades em Cabo Delgado, provocando o êxodo de 700 mil pessoas, segundo a ONU. Antes do ataque do final de março, a violência já havia matado pelo menos 2.600 pessoas na província, metade civis, de acordo com a ONG americana Acled (sigla em inglês para Projeto de Localização de Conflitos e Eventos Armados).

Os ataques nessa região de fronteira com a Tanzânia se intensificaram no ano passado. Desde agosto de 2020, forças jihadistas controlam Mocímboa da Praia, fundamental para a chegada dos materiais necessários às instalações de gás. Apesar de várias tentativas, os militares moçambicanos nunca conseguiram retomá-la.

Sem condições materiais, o Exército moçambicano conta com o apoio de mercenários de empresas de segurança sul-africanas. No mês passada, os Estados Unidos anunciaram que darão duas semanas de treinamento às forças especiais do país.

FONTE: http://guiame.com.br/gospel/noticias/mocambique-anuncia-que-cidade-ocupada-por-jihadistas-esta-sob-o-controle-do-estado.html


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

No momento todos os nossos apresentadores estão offline, tente novamente mais tarde, obrigado!

Top 5

top1
1. Samuel Messias

Você Não Vai Parar

top2
2. Isadora Pompeo

Eu Sei que Vem

top3
3. Luma Elpidio

Te Entreguei Meu Coração

top4
4. Paulo Neto

Não foi por acaso

top5
5. Julia Vitoria

De Dentro Pra Fora

Anunciantes